Home PERSONAGEM As atividades físicas fazem parte da vida de Natália há mais de 32 anos!
0

As atividades físicas fazem parte da vida de Natália há mais de 32 anos!

0
0
Legenda: Musculação é uma das atividades preferidas de Natália

Edição Nº 38 – Setembro de 2017

Natália Schloenbach tinha apenas 3 anos de idade quando começou a praticar atividades esportivas por recomendação médica. Hoje, aos 35 anos, a colega – que há seis meses trabalha na PPE ASTA como assistente da Presidência/Comunicação – não frequenta mais as piscinas como antigamente, mas ainda mantém muita disposição para correr, pedalar e fazer musculação. Para ela, não existem obstáculos na hora de reservar um momento para exercitar não só o corpo, como a mente também.

Quando você começou na natação?

NATÁLIA – Comecei a praticar atividade física ainda criança, tinha apenas 3 anos. Fazia tratamento para bronquite asmática e, mesmo assim, tinha crises frequentes. Quando iniciei na homeopatia, o médico sugeriu que meus pais me colocassem na natação, pois seria um excelente complemento. E foi mesmo. Tanto que nunca mais parei. Nadei até os 16 anos, nunca competi, mas praticava regularmente duas vezes por semana. No início da adolescência, já com a bronquite controlada, entrei para o time de futsal da escola. Aí sim vivenciei a experiência das competições, principalmente em torneios colegiais.

Como foi essa experiência nas quadras?

NATÁLIA – Era muito divertido. A adrenalina e a sensação de fazer parte de uma equipe me faziam muito bem na época. Nós conseguimos alguns bons resultados e ótimas lembranças. Segui jogando até me formar. Ao entrar na faculdade, voltei a nadar, mas por pouco tempo. Como a rotina entre os estudos e o estágio era bem acelerada, não tinha muito tempo para os esportes. Fiquei cerca de dois anos parada, mas, na primeira oportunidade, voltei. Desde então, procuro praticar os aeróbicos, como correr e pedalar, e fazer musculação sempre que possível.

Qual a sua rotina hoje?

NATÁLIA – Bem, manter uma rotina acaba sendo a parte mais complicada. Seria ideal praticar esportes quase todos os dias, mas nem sempre é possível. O importante é ter em mente que a atividade física é uma necessidade. Por isso, procuro treinar no mínimo três vezes por semana, sem excessos. A alimentação também precisa estar voltada aos resultados que estamos buscando. Consultei uma nutricionista e ela me ajudou bastante com essa parte. Outro fator motivador é procurar uma academia, ou local favorável para a prática esportiva, que seja próximo da sua casa. Estabelecer dias da semana para a atividade física também colabora para que ela se torne um hábito. Quando os resultados começam a aparecer na saúde, aí o esporte vira um “quase vício”.

Quais os principais benefícios obtidos com essa prática?

NATÁLIA – Nossa, inúmeros! A atividade física faz toda a diferença no dia a dia. Quando criança, a natação era o meu momento, esperava o dia todo para cair na piscina! Tenho total convicção de que foi o nado que “silenciou” a minha asma. E da piscina para os outros esportes foi um “pulo”. Quando estou praticando a atividade física regularmente, consigo dormir melhor, tenho muito mais disposição durante o dia e ainda me sinto mais motivada a manter a alimentação saudável.

Você precisou mudar algo, para incorporar as atividades ao seu dia a dia?

NATÁLIA – Sim, mas nada extraordinário. Mudei minha educação alimentar e procurei adaptar meus horários para que pudesse praticar esporte sem afobação. Penso que esse é o meu momento durante o dia. A hora que tenho para refletir até sobre assuntos que não têm nada a ver com o esporte. Sou eu comigo mesma. Isso faz muito bem, não só para o corpo, mas também para a mente. Na maioria das vezes, vejo que as pessoas procuram “desculpas” para não praticar atividade física, como se ela exigisse grandes mudanças na vida. O que a maioria não percebe, é que o próprio esporte é a mudança em si. Para muito melhor.

É preciso algum pré-requisito para quem quer praticar alguma atividade esportiva?

NATÁLIA – Acredito que atividades esportivas mais puxadas, ou complexas, tenham pré-requisitos sim. No meu caso, procuro fazer exames médicos com a frequência necessária e mantenho minhas avaliações físicas sempre atualizadas.

Você recomenda a amigos e familiares que incorporem atividades físicas ao seu cotidiano?

NATÁLIA – Sempre que posso! Todo mundo que me pergunta sobre o assunto ouve uma longa história sobre como a atividade física mudou a minha vida (rs). Mas também acho que as pessoas não entendem que a maioria dos obstáculos para a prática esportiva é imposta por elas mesmas. Se você calçar um tênis e colocar uma roupa apropriada, pode sair para uma caminhada quando tiver tempo livre. Pronto! Simples assim! E se fizer isso pelo menos 3 vezes por semana, já terá inserido uma rotina de atividade física no seu dia a dia. É só começar! Nós podemos ser nossos maiores aliados, mas também nossos maiores inimigos quando o assunto é motivação.


A opinião de quem é especialista e entende do assunto

Prática de esportes agora aparece na base da pirâmide alimentar (Clique para aumentar)

“A relação entre atividade física e saúde começa no momento em que a epidemiologia constata que as doenças infecciosas passaram a dar lugar às doenças relacionadas ao estilo de vida, ocorrendo uma inversão das causas de morte.

As chamadas doenças crônico-degenerativas sofrem influências de fatores de risco e, dentre esses, o sedentarismo é considerado o de maior risco à saúde. Por isso, atualmente são necessárias estratégias para incentivar a população na adoção do estilo de vida ativo, para que cada indivíduo tenha consciência sobre a importância da prática de exercícios e de atividades físicas regulares.

Essa, inclusive, é uma questão de saúde pública, além de saúde individual, com a qual a epidemiologia contribui, por meio da avaliação do impacto das ações que alteram o estado de saúde da população e dos indivíduos.

Com base nesse fato, a atividade física, a saúde e a qualidade de vida têm intima relação. Logo, a popularização dessas práticas corporais é um dos fatores determinantes da boa saúde e, consequentemente, da melhor qualidade de vida.

Além disso, a prática regular de exercício físico contribui para controlar o sobrepeso corporal ou a obesidade, a hipertensão arterial sistêmica, diminuir o estresse, aumentar o colesterol bom (HDL), além de favorecer o controle de açúcar no sangue. Para atender a esses objetivos, o indivíduo pode exceder a recomendação mínima, realizando mais que 30 minutos de exercício físico diariamente.

Outro aspecto interessante: a mais recente pirâmide alimentar, proposta em 2005, pelo Departamento de Nutrição da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, traz como inovação, em sua base, os exercícios físicos. Seu maior objetivo é o controle do peso por meio de uma alimentação variada, balanceada e das práticas de esporte”.

Marco Antonio Teixeira Freitas, oftalmologista, homeopata e médico do trabalho